Fumar Era "Chique"

Fumar Era “Chique”

Share Button

Lembro-me de algumas revistas de moda dos anos 70 e 80 que minha mãe tinha em casa. As modelos eram elegantes, com aquelas calças de barra larga e seguravam um cigarro com todo um estilo ou soltavam aquela característica fumaça com uma técnica impecável para a foto. O cigarro estava diretamente ligado à elegância e à beleza.

Na 5ª série, em 1988, com 11 anos, recordo-me de algumas garotas e rapazes do então ginásio com seus 15 a 17 anos, que fumavam no pátio da escola; não sei se era ou não proibido o cigarro, mas o fato é que pareciam ser o grupo “elitizado” da escola, com garotas e garotos de boa aparência e que chamavam a nossa atenção.

Não sei como é a visão dos que não fumam com respeito a esses grupos dentro da escola. De qualquer forma, hoje já não existe esta relação e o hábito de fumar passou da elegância à forte conotação com diversas doenças, principalmente o câncer.

Como as coisas mudam!

Hoje, fotografar um ator, uma atriz ou modelo fumando é praticante uma denúncia, um escândalo, no mínimo algo vergonhoso e que não pega bem. Veja a atriz Malú Mader, que hoje não fuma, fazendo uma propaganda de cigarro nos anos 80:

Pessoas “chiques” e importantes fumavam, hoje são excluídas e taxadas na sociedade como futuras premiadas pelo câncer.

Assista como eram as propagandas de cigarro antigamente:

Alguns acreditam em teorias conspiratórias, pois o cigarro (a nicotina) ativa o cérebro e o governo não quer pessoas que pensam; assim, o governo vem estabelecendo diversas medidas para a redução de fumantes, ou seja, reduzindo o número de pessoas pensantes e críticas quanto às questões políticas e sociais, o que prejudicaria os seus mandatos e as possibilidades de corrupção no país.

Esta teoria tem seus fundamentos, mas existem formas mais inteligentes de ativar o cérebro como evitar alimentos prejudiciais como o açúcar e carboidratos de absorção rápida, o glúten/trigo (causador de hipoperfusão cerebral ou baixa oxigenação cerebral), além de estabelecer metas para a vida e se predispor a ser um cidadão crítico e ativo na comunidade.

Leandro Bolina Nascimento

Jornalista e fundador do Hortolândia NEWS.

Facebook Twitter YouTube 

Recomendado