Campinas sedia a partir de amanhã o 43º Congresso Mundial de Pesquisa em Dança CID UNESCO

Campinas sedia a partir de amanhã o 43º Congresso Mundial de Pesquisa em Dança CID UNESCO

Share Button

Realizado pela primeira vez no Brasil, evento contará com a participação de convidados internacionais, além do bailarino Carlinhos de Jesus, padrinho da Cia da Dança Humaniza, escolhida pelo Conselho Internacional de Dança (CID) para coordenar o encontro

Pela primeira vez o Brasil sediará um dos eventos mundiais mais importantes da dança. O 43º Congresso Mundial de Pesquisa CID UNESCO contará com bailarinos, professores e pesquisadores do País e do Exterior para valorizar todas as formas de dança existentes no mundo. O congresso será realizado entre os dias 27 de abril (quarta-feira) a 1º de Maio (sábado), nas dependências do CIS Guanabara /PREAC-UNICAMP e Teatro da UNISAL (Universidade Salesiana São José).

Entre os convidados estão o bailarino Carlinhos de Jesus – padrinho da Cia de dança Humaniza, de Campinas -, e outros nomes conhecidos no mundo da dança, como o ex-bailarino da companhia de Maurice Bejart, o francês Olivier Pascalin, e a professora Lucila Moro, ex-primeira bailarina do teatro Colon, da Argentina. Também estarão presentes professores doutores e pesquisadores de todo Brasil. A iniciativa para a realização do congresso partiu da Seção Campinas CID UNESCO, que tem como presidente a bailarina e pedagoga Keyla Ferrari Lopes, que atua na área da arte para pessoas com deficiência há vinte anos, além do vice-presidente da entidade, Vicente Pironti, que também é diretor da Humaniza – Agência Internacional de Desenvolvimento Humanitário-, corealizadora do evento.

A abertura do Congresso contará com o espetáculo “A Flor é Espelho refletindo o Amor”, de autoria de Vicente Pironti e direção coreográfica de Keyla Ferrari, cujo elenco é formado por bailarinos com e sem deficiência. O Congresso conta com a parceria da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de Campinas, Secretaria Municipal de Turismo de Campinas, CIS Guanabara /PREAC/UNICAMP, UNISAL, ONG-Sociedade Humana Despertar, Agência Sinergia, Agência Phomenta e apoiadores culturais.

“Todos os espetáculos são abertos ao público e as contribuições espontâneas serão doadas para a Universidade Aberta da Dança, que está sendo fundada pela Humaniza”, lembra Pironti. Na quinta e na sexta, respectivamente segundo e terceiro dias do Congresso, será realizada uma Exposição Coletiva com cerca de 20 artistas plásticos no CIS Guanabara, com entrada gratuita ao público. O organização e mostra dos trabalhos é da campineira Maria Licia Bonin.

Certificação de bailarina profissional

O 43º Congresso Mundial de Pesquisa em Dança CID UNESCO terá palestras, workshops e apresentações de dança e performances. Na oportunidade, três campineiras portadoras de deficiência receberão na abertura do Congresso a certificação de bailarina profissional pelo Conselho Internacional da Dança (CID) da UNESCO. Cláudia Regina Buainain de Luca, Aryane Cristina Masson Silva e Rosemary Longo foram indicadas por Keyla Ferrari,  depois de avaliar o currículo e desempenho pela UNESCO. “As três já integram meu grupo de dança dentro da Humaniza e fazem um trabalho mais avançado”, conta Keyla.

Cronograma

Quarta-feira (27/04) – Cerimônia de Abertura do Congresso – 20h
Local: UNISAL – Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330
Guanabara. Aberta ao público.
Quinta/sexta e sábado- A partir das 9h
Workshops para palestrantes inscritos.
Local: CIS Guanabara- Rua Mário de Siqueira, 828 – Guanabara.

Atrações abertas ao público

Apresentações de dança e performances
De quinta a sábado- A partir das 19h30min
Local: UNISAL – Rua Baronesa Geraldo de Resende, 330 – Guanabara.

Exposição Coletiva com artistas plásticos

Quinta e sexta- Das 9h às 17h
Local: CIS Guanabara – Rua Mário de Siqueira, 828 –  Guanabara.
Cerimônia de Encerramento: Sábado, 21h45min, na UNISAL

Mais Informações:
Keyla Ferrari (19) 9.9852-2829 ou Vicente Pironti (19) 9.8166-0664

Assista matéria veiculada pela EPTV

A Redação

Por Uma Mídia Livre em Hortolândia.

Facebook Twitter YouTube 

Recomendado