A participação social no sistema político

A participação social no sistema político

Share Button

Hoje, dia 18/08, das 9h às 17h, no Centro de Convenções da Unicamp, ocorreu mais um tema de uma série de Fóruns Permanentes organizados pela Unicamp. O tema desta vez foi “Qual Reforma Política? Condições, limites e alternativas para melhorar a política no Brasil” e foi organizado pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas sob a coordenação de Wagner de Melo Romão do Núcleo de Pesquisa em Participação, Movimentos Sociais e Ação Coletiva (NEPAC) e Andréa Freitas do Centro de Estudos de Opinião Pública (CESOP).

É absolutamente premente qualificar os debates sobre a reforma política atualmente em curso no Brasil. As propostas aprovadas recentemente na Câmara dos Deputados ainda passarão pelo Senado e podem ser modificadas. Além dos pontos em discussão no Congresso Nacional – referidos a mecanismos eleitorais e formatos de representação – há também elementos pouco tocados, como a democracia direta por meio dos referendos e plebiscitos e mecanismos e instâncias de participação – como conselhos, conferências e audiências públicas – ainda pouco institucionalizados no país. A proposta deste Fórum foi reunir pensadores para debater sobre aspectos práticos e normativos que envolvem o tema de maneira a ampliar e aprofundar os elementos em discussão.

Como visto, os temas tratados neste Fórum foram diversos; no entanto, disponibiliza-se o último tema, título desta matéria – a participação social no sistema político e as problematizações envolvidas neste tema.

Ampliar a representação: a participação social no sistema político
Coordenação: Wagner de Melo Romão (NEPAC/UNICAMP) – meio na foto

Adrian Gurza Lavalle (USP/CEBRAP) – esq. na foto

 

Rebecca Abers (Universidade de Brasília) – dir. na foto

 

Perguntas e Considerações Finais

 

Fonte: Fóruns Unicamp e RTV Unicamp

A Redação

Por Uma Mídia Livre em Hortolândia.

Facebook Twitter YouTube 

Recomendado